QUER MELHORAR A SUA SITUAÇÃO FINANCEIRA? ENTÃO APRENDA A TER O HÁBITO DE POUPAR

Ninguém nasce sabendo sobre como cuidar do dinheiro. Somos todos empurrados a aprender a buscá-lo; alguns mais cedo, outros mais tarde e alguns outros não conseguem aprender nunca. Mas, o fato é que todos precisamos de dinheiro e de certo modo iremos buscar por ele. Porém, aprender a utilizá-lo a nosso favor, fazer com que ele nos sirva e não o contrário, isto ninguém ensina.

Há muita literatura sobre esse assunto, mas a fórmula é mais simples do que se parece.

Primeiro Passo: descobrir como você lida com o dinheiro. De acordo com o Thiago Nigro, há 4 tipo de pessoas:
Consumista: aquele que ganha e gasta;
Poupador: aquele que ganha e poupa (e gasta o essencial);
Insano: aquele que gasta mais do que ganha;
Multiplicador: aquele que ganha, poupa, investe e multiplica o seu dinheiro.

Claro que o objetivo é ser multiplicador, mas o fato de você ainda não ter chegado lá, não significa que você não possa começar com passos de tartaruga.

Segundo Passo: o caminho para ser o multiplicador começa com o hábito de poupar. E disciplina, muita disciplina.
Lançar um novo olhar sobre as finanças pessoais é um começo para quem busca desmistificar as teorias sobre como ser rico. Comece poupando um pouco todo mês.

Mas quanto? E por quanto tempo? O tanto que você vai poupar vai depender do seu orçamento. E isso deve ser feito pelo resto da sua vida. A ideia aqui, não é você virar milionário ou deixar de comprar o que deseja. A ideia aqui é criar o hábito de todo mês conseguir separar um dinheiro para uso futuro. Sobre o uso futuro falarei em outros artigos.

Quem consome em excesso, normalmente não se preocupa com o futuro. Também não é o caso de se tornar avaro, mão de vaca, deixar de viver bons dias. Em tudo há um meio termo. Porém, para se poupar é preciso antes, administrar o dinheiro de forma a sobrar. Uma ideia legal é ter esse hábito estipulado em percentual relativo ao que você recebe.

Tem que ser rígida com essa prática, se quisermos pertencer ao grupo dos poupadores ou multiplicadores.

Partindo do princípio de que você alegue que não sobra, há relatos de gente que poupa quantias mínimas e ainda assim, conseguem tal façanha. Então, por que resistir se supostamente você já tem uma renda consolidada?

Existem pedras no meio do caminho, situações familiares que trabalham contra as melhores das intenções, mas existe informação que avisa: vigie e pratique! Dinheiro é fonte limitada. Ele vem na proporção que nos dedicamos ao trabalho. Essa dedicação, infelizmente, não é crescente na vida de uma pessoa normal.

Colocando-se entre os normais que faturam quantias médias, a grosso modo é sabido que sua disposição segundo idade, saúde, dedicação e informação sobre novas teorias, tudo isto pode ser demonstrado como uma hipérbole, cujo ápice deve ser bastante explorado, posto que o declínio virá, então, poupar é sinal de inteligência.

Valores são meros instrumentos para começar a prática. O bem-estar que por certo sentirá mês a mês ao perceber que já passou a ter algo com que contar, isto por si só, constitui o melhor incentivo para prosseguir. Comece e experimente a sensação de administrar o seu patrimônio fazendo-o crescer para lhe servir seja inesperadamente ou planejadamente. Vai valer!

Tassia Fernandes
Tassia Fernandes

Bacharel em Relações Internacionais e mestre em Economia International, trabalha há 14 anos na área de Investimento do Banco Alemão em Frankfurt. Como chefe da parte operacional de vendas, lidera um time de 10 pessoas localizados em 6 países diferentes focando na excelência operacional e eficiência desse departamento. Além disso, atua pró-ativamente no desenvolvimento e empoderamento de mulheres dentro da sua empresa mas também no setor financeiro com um todo, participando e criando fórum de conexão e discussões para as mulheres desse setor.