COMO SE REORGANIZAR FINANCEIRAMENTE PÓS-PANDEMIA?

Criar uma rotina de organização financeira pode parecer um sonho distante nesse momento, mas agora, mais do que nunca, é importantíssimo analisar detalhadamente cada centavo que entra e sai da sua conta bancária. Afinal, nós já falamos aqui sobre a importância da independência financeira para as mulheres, não é mesmo?

Para que você não se sinta intimidada por esse assunto, resolvi organizar esse papo em passos. Vamos nessa?

1- Crie uma planilha ou documento para registrar todos os seus gastos

Eu reservo uma hora da minha segunda-feira para registrar tudo o que gastei durante a semana. E pode acreditar, eu não deixo passar nenhum centavo! Isso acaba se tornando um hábito e, a partir do momento que você toma consciência de que está gastando além do que devia, você passa a repensar mil vezes antes de fazer uma compra desnecessária. Isso também é ótimo para manter controle de possíveis taxas cobradas pelo seu banco – você pode estar sendo cobrada por algo que nem sabe!

Como esse processo nem sempre é divertido, eu criei uma planilha separada por categorias. Cada categoria tem uma cor, o que faz a visualização de cada gasto muito mais fácil. Tenho categorias como:

  • Aluguel
  • Contas básicas (água, luz, internet,…)
  • Mercado
  • Farmácia
  • Celular
  • Transporte
  • Lazer
  • Extras (para gastos inesperados que não se encaixam em nenhuma categoria)

2- Foque no necessário

Durante a pandemia todos nós tivemos que rever nossos hábitos. Mesmo que você tenha voltado a receber o seu salário, foque os seus gastos apenas naquilo que for realmente necessário. Reveja planos de internet, celular, tv a cabo e pequenos gastos que quando somados fazem uma grande diferença no final do ano, como a conta de luz, que você consegue economizar ao tirar alguns eletrodomésticos da tomada.

Caso a sua renda seja compartilhada com sua família, tenha uma conversa séria e clara sobre gastos para entender onde cada um pode reduzir. Mantenha desse jeito até retomar a sua reserva emergência (se tiver uma), ou até construir a sua – tenha sempre guardado o equivalente a 3 meses de gastos mensais.

3- Compre apenas o necessário no mercado

Durante a pandemia, é provável que os seus gastos com mercado tenham aumentado consideravelmente. Muitos brasileiros têm o costume de estocar comida, mas chegou a hora de ter apenas o necessário dentro do armário. Outra dica é procurar por opções mais baratas do mesmo produto se ele oferecer os mesmos benefícios nutricionais.

4- Evite gastar no crédito

Sabemos que o cartão de crédito muitas vezes é um mal necessário, mas reserve-o apenas para casos emergenciais. Está chegando o fim do mês e faltou dinheiro para comprar comida? Essa é a hora de pensar no cartão de crédito. Lembre-se que estamos todos no mesmo barco e é possível negociar dívidas mais tarde.

5- Crie metas mensais

Depois de seguir esses quatro passos, você terá mais noção da sua realidade financeira. A partir disso, crie metas mensais do quanto gostaria de gastar com cada categoria. Isso vai te dar mais motivação para continuar economizando.

6- Guarde tudo o que puder

Sobrou R$10,00 no final do mês? Guarde! É assim que você vai voltar a ter uma vida mais confortável depois que isso tudo passar.

Espero que minhas dicas tenham ajudado você. Até a próxima!

Julia Prezotto
Julia Prezotto

Sou uma das apresentadores do podcast Dicionário Feminista! Sou jornalista de formação, mas trabalho com marketing digital desde 2012. Passei por experiências incríveis no Brasil até decidir me mudar para Vancouver, no Canadá, em 2018. Nas horas vagas eu amo ver vídeos de bichinhos fofos, ler histórias de suspense a assistir documentários na Netflix. Você me encontra no Instagram @julia.prezotto.